top of page

Portugal 2023 - o que esperar?



Ano novo, vida nova, blog novo, minha gente!

As primeiras semanas do ano já passaram e é possível fazer uma breve análise do que vem por aí.


Na segunda semana de janeiro foi divulgado que em 2022 Portugal teve o maior índice de inflação desde 1992, em decorrência dos aumentos de energia e alimentos, que nada mais é do que o resultado destes últimos 3 anos nada normais, em meio a pandemia e guerra na Ucrânia. Não foi fácil para ninguém.


“Em 2022, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) registou uma variação média anual de 7,8%, significativamente acima da variação registada no conjunto do ano 2021 (1,3%). Trata-se da variação anual mais elevada desde 1992”, revela o INE no boletim publicado em 11 de janeiro de 2023.


Sabe-se que não somente Portugal está a ter problemas com a inflação, após tudo que se passou nos últimos anos é quase que um cenário global, entretanto o governo de Portugal tem tomado medidas para tentar minimizar o impacto económico.


Com um Orçamento de Estado voltado a proteger rendimentos e incentivar investimentos, esse é o panorama para Portugal em 2023:

  • Aumento do ordenado minimo de 705€ para 760€

  • Redução em 2 pontos percentuais do IRS do 2° escalão ,o que vai acabar por diminuir a taxa média dos demais escalões.

  • Casos de retenções de imposto na fonte sendo revistos para garantir que o aumento de salário bruto corresponda sempre a aumento líquido no próprio .

  • Garantia de atualização nas pensões mantendo a sustentabilidade da Segurança Social.

Muito se fala sobre crise, recessão, inflação nas alturas e já há portugueses que citam a famosa TroiKa na época de crise de Portugal (2008-2014) e acham que o país está a a caminhar para um revival desta época difícil para os portugueses e o desenvolvimento da economia do país.


Entretanto mesmo com tantas especulações a pairar o Banco de Portugal tem divulgado projeções que alguns chamam otimistas, mas que acabam por minimizar o cenário e os comentários sobre recessão, a indicar que há uma luz no fim do túnel.


"Portugal vai crescer 1,5% em 2023, o triplo da zona euro. Inflação será de 5,8% em 2023, depois de 8,1% em 2022." ( Projeção do Banco de Portugal de Dezembro de 2022)


Notícias em eventos de TI pelo país também apontam para crescimento na área de tecnologias.


"Mercado de trabalho das TIC vai crescer 33% em Portugal até 2023.(...)Metade dos profissionais de TI portugueses vai mudar de emprego nos próximos três anos e que, segundo dados da União Europeia, nesse período o número de pessoas a trabalhar em tecnologia no País vai aumentar 33%: de 120 mil, em 2020, passará a 160 mil, em 2023.

Para Portugal crescer quarenta mil colaboradores será preciso, de acordo com José Paiva, ir buscar «vinte mil profissionais a mercados externos, em que metade deve vir da América Latina, em especial do Brasil»"

Fonte : https://business-it.pt/ - Future.Works Tech Conference


Com as previsões do Banco de Portugal a indicar que a economia portuguesa está a esquivar se do cenário de crise que paira sobre toda Europa e as medidas que foram implementadas em 2022 com incentivo a migração com novos vistos (procura de emprego, nómadas digitais, etc) e o crescimento da busca de profissionais de TI tudo indica que Portugal não apenas vai driblar a crise como atingir o crescimento previsto.


Enfim 2023 será um ano cheio de desafios e devemos estar atentos e cautelosos a esse cenário "incerto", entretanto há uma coisa que não muda com o passar dos anos: "Das dificuldades surgem oportunidades", e nosso papel é trabalhar com este foco e construir assim o nosso ano de 2023 da melhor forma possível.


Estão prontos?




Glossário *Troika é a designação atribuída à equipa composta pelo Fundo Monetário Internacional, Banco Central Europeu e Comissão Europeia.Essa equipa é responsável pela negociação com os países que solicitam um pedido de resgate financeiro, de forma a consolidar as suas contas públicas.(Em Portugal foi o período de 2011 a 2014)



37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page