top of page

Empreender em Portugal em 2023


Em pleno 2023 será que empreender em Portugal ainda é trocar o certo pelo incerto?

Claro que quando falamos de gerir um negócio próprio em outro país não há garantias absolutas de êxito, mas com um bom planeamento e informações de fontes confiáveis já é possível perceber que a cada ano que passa está mais "simples" criar um negócio.


Perceba que quando dizemos simples não se está a falar que é fácil, afinal o maior desafio será criar um negócio rentável e que permaneça no mercado após 2 anos.

Ao contrário do senso comum épocas de crises são uma excelente altura para se lançar novos negócios, explorar as oportunidades que podem estar a surgir a partir da situação económica atual e acabar por criar negócios lucrativos e por vezes inovadores.


Portugal é um país que incentiva a migração de empreendedores, além de vistos próprios para quem pretende investir no país, possui um sistema menos burocrático para abertura de empresas , onde não é necessário altos investimentos iniciais.

Qualidade de vida, estabilidade do clima social ,infraestrutura de telecomunicações, nível de competências da mão de obra e custos da mão de obra, são as características que os empreendedores relatam encontrar no país.


A resiliência e empenho do governo português frente a crise pós Covid -19 e guerra na Ucrânia também acaba por atrair a atenção de quem pensa em investir na Europa em 2023.

Os vistos que possibilitam viver legalmente no país caso o empreendedor não possua nacionalidade europeia são :


Visto D2:

  • pessoas que pretendem trabalhar como autónomo

  • pessoas que pretendem abrir uma empresa própria

  • pessoas que pretendem trazer o negócio que já existe para Portugal.

Visto D7:

  • titulares de rendimentos próprios em outro país que queira investir em Portugal.

  • este visto e conhecido por ser utilizado por pessoas que já se reformaram.

Visto Start Up Visa:

  • para pessoas que pretendem investir no país com negócios inovadores. *É preciso participar de um programa que é promovido pelo IAPMEI (Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação), que é responsável pela análise e certificação dos pedidos.

Visto Gold:

  • para pessoas que pretendem abrir empresas com no mínimo 10 postos de trabalho.

  • para pessoa que vão transferir capitais no valor mínimo de 1 milhão de euros;

  • para pessoas que vão fazer aquisição de bens imóveis de valor igual ou superior a 500 mil euros (exceto no Porto ou em Lisboa a partir das novas regras);

  • para pessoas que vão fazer aquisição de bens imóveis a serem reabilitados (com mais de 30 anos ou localizados em áreas de reabilitação urbana) no montante mínimo de 350 mil euros;

  • para pessoa que vão investir o mínimo de 350 mil euros em atividades de investigação científica;

  • para pessoa que vão investir de pelo menos 250 mil euros em produção artística, recuperação ou manutenção do património cultural;

  • para pessoa que vão transferir pelo menos 350 mil euros para fundos de investimento ou fundos de capitais;

  • para pessoa que vão transferir de pelo menos 350 mil euros para constituir uma sociedade comercial, com a criação de cinco postos de trabalho, ou para investimento em uma sociedade já constituída, com a criação ou manutenção de pelo menos cinco postos de trabalho, por um período mínimo de três anos.


Cada visto possui suas particularidades e requisitos, na VFS Global consegues a lista completa de documentos e requisitos , mas se o seu objetivo é abrir uma empresa cá , além da capacidade financeira para abertura do negócio comprovada, vais precisar de um plano de negócios bem elaborado a demonstrar a relevância económica e social do negócio para o país e a experiência compatível ao que se pretende trabalhar .


Principais Setores com Oportunidades para Investir em Portugal 2023


Tecnologia: Lisboa é a sede do Web Summit a maior conferência de tecnologia da Europa e esse é um setor sempre aquecido e sempre a procura de profissionais e de novos negócios.


Fintechs: mistura de tecnologia e finanças, tem surgido cada vez mais para atender bancos e seguradoras com ferramentas de transações financeiras.

Lojas Online: Com a pandemia o comércio online teve um crescimento exponencial e o consumidor português abraçou a tendência de consumir mais online principalmente no setor alimentício e na compra de eletrónicos.


Edtechs: Aqui a união é de tecnologia e educação. Ferramentas que facilitam e auxiliar a aprendizagem do aluno estão a ser muito valorizadas em Portugal.


Turismo: Portugal é um país em sua maioria túristico,por isso esse é um setor que sempre está em alta.

  • Turismo Personalizado: oferecer serviços e roteiros de visita personalizados para acompanhar e mostrar Portugal aos turistas.

  • Hospedagem: Abrir um alojamento local e se cadastrar nas plataformas Airbnb e Booking por exemplo. É bom lembrar que para isso precisas atender a legislação portuguesa de alojamentos locais.

Imóveis: Com uma alta demanda de compradores seja da China,Brasil e também da própria Europa, os imóveis estão a valorizar rapidamente. O mercado do arrendamento também está em alta e quem comprou pra colocar neste mercado está a ter bom retorno do investimento.


Alimentação: Seja na alimentação saudável ou na alimentação de uma cultura típica, restauração é um setor em constante expansão. Com o crescimento da população de imigrantes, restaurantes com comida típica brasileira, chinesa, coreana, nepalesa entre outros estão a se tornar mais populares e com boa aceitação até mesmo dos consumidores portugueses.



E tu, tens uma história empreendedora que gostavas de partilhar? Entre em contacto connosco!


22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page